Pesquisar este blog

quinta-feira, 29 de março de 2012

OS TRÊS CONSELHOS - EMOCIONANTE

Um casal de jovens recém-casados, era muito pobre e vivia de favores num sítio do interior. Um dia o marido fez a seguinte proposta para a esposa:  "Querida eu vou sair de casa, vou viajar para bem longe, arrumar um emprego e trabalhar até ter condições para voltar e dar-te uma vida mais digna e confortável. Não sei quanto tempo vou ficar longe, só peço uma coisa, que você me espere e enquanto eu estiver fora, seja FIEL a mim, pois eu Serei fiel a você".
 Assim sendo, o jovem saiu.
 Andou muitos dias a pé, até que encontrou um fazendeiro que estava precisando de alguém para ajudá-lo em sua fazenda. O jovem chegou e ofereceu-se para trabalhar, no que foi aceito. Pediu para fazer um pacto com o patrão, o que também foi aceito. O pacto foi o seguinte: "me deixe trabalhar pelo tempo que eu quiser e quando eu achar que devo ir, o senhor me dispensa das minhas obrigações.
EU NÃO QUERO RECEBER O MEU SALÁRIO.
Peço que o senhor o coloque na poupança até o dia em que eu for embora.
No dia em que eu sair o senhor me dá o dinheiro e eu sigo o meu caminho".
Tudo combinado. Aquele jovem trabalhou DURANTE VINTE ANOS, sem férias e sem descanso.
Depois de vinte anos chegou para o patrão e disse:
 "Patrão, eu quero o meu dinheiro, pois estou voltando para a minha casa". O patrão então lhe respondeu:
"Tudo bem, afinal, fizemos um pacto e vou cumpri-lo, só que antes quero lhe fazer uma proposta, tudo bem?
-- Eu lhe dou o seu dinheiro e você vai embora, ou LHE DOU TRÊS CONSELHOS e não lhe dou o dinheiro e você vai embora.
Se eu lhe der o dinheiro eu não lhe dou os conselhos, se eu lhe der os conselhos, eu não lhe dou o dinheiro.
Vá para o seu quarto, pense e depois me dê a resposta".
Ele pensou durante dois dias, procurou o patrão e disse-lhe:
 "QUERO OS TRÊS CONSELHOS".
O patrão novamente frisou:
 "Se lhe der os conselhos, não lhe dou o dinheiro".
E o empregado respondeu:
"Quero os conselhos". O patrão então lhe falou:
1. "NUNCA TOME ATALHOS EM SUA VIDA. Caminhos mais curtos e desconhecidos podem custar a sua vida.
2. NUNCA SEJA CURIOSO PARA AQUILO QUE É MAL, pois a curiosidade para o mal pode ser mortal.
3. NUNCA TOME DECISÕES EM MOMENTOS DE ÓDIO OU DE DOR, pois você pode se arrepender e ser tarde demais.
" Após dar os conselhos, o patrão disse ao rapaz, que já não era tão jovem assim:
 "AQUI VOCÊ TEM TRÊS PÃES, dois para você comer durante a viagem e o terceiro é para comer com sua esposa quando chegar a sua casa".
O homem então, seguiu seu caminho de volta, depois de vinte anos longe de casa e da esposa que ele tanto amava.
Após o primeiro dia de viagem, encontrou um andarilho que o cumprimentou e lhe perguntou:
 "Para onde você vai?" Ele respondeu:
"Vou para um lugar muito distante que fica a mais de vinte dias de caminhada por essa estrada".
O andarilho disse-lhe então: "Rapaz, este caminho é muito longo, eu conheço um atalho que é dez, e você chega em poucos dias".
O rapaz contente, começou a seguir pelo atalho, quando lembrou-se do primeiro conselho, então voltou e seguiu o caminho normal.
Dias depois soube que o atalho levava a uma emboscada.
Depois de alguns dias de viagem, cansado ao extremo, achou uma pensão à beira da estrada, onde pode hospedar-se.
 "Pagou" a diária e após tomar um banho deitou-se para dormir.
De madrugada acordou assustado com um grito estarrecedor.
Levantou-se de um salto só e dirigiu-se à porta para ir até o local do grito.
 Quando estava abrindo a porta, lembrou-se do segundo conselho.
Voltou, deitou-se e dormiu. Ao amanhecer, após tomar café, o dono da hospedagem lhe perguntou se ele não havia ouvido um grito e ele disse que tinha ouvido.
O hospedeiro: e você não ficou curioso?
Ele disse que não. No que o hospedeiro respondeu:
VOCÊ É O PRIMEIRO HÓSPEDE A SAIR DAQUI VIVO, pois meu filho tem crises de loucura, grita durante a noite e quando o hóspede sai, mata-o e enterra-o no quintal.
O rapaz prosseguiu na sua longa jornada, ansioso por chegar a sua casa.
Depois de muitos dias e noites de caminhada... já ao entardecer, viu entre as árvores a fumaça de sua casinha, andou e logo viu entre os arbustos a silhueta de sua esposa.
Estava anoitecendo, mas ele pode ver que ela não estava só. Andou mais um pouco e viu que ela tinha no seu colo, um homem a quem estava acariciando os cabelos. Quando viu aquela cena, seu coração se encheu de ódio e amargura e decidiu-se a correr de encontro aos dois e a matá-los sem piedade.
Respirou fundo, apressou os passos, quando lembrou-se do terceiro conselho. Então parou, refletiu e decidiu dormir aquela noite ali mesmo e no dia seguinte tomar uma decisão.
Ao amanhecer, já com a cabeça fria, ele disse:
- "NÃO VOU MATAR MINHA ESPOSA E NEM O SEU AMANTE.
Vou voltar para o meu patrão e pedir que ele me aceite de volta.
Só que antes, quero dizer a minha esposa que eu sempre FUI FIEL A ELA".
 Dirigiu-se à porta da casa e bateu. Quando a esposa abre a porta e o reconhece, se atira em seu pescoço e o abraça afetuosamente.
 Ele tenta afastá-la, mas não consegue. Então com as lágrimas nos olhos lhe diz: - "Eu fui fiel a você e você me traiu...
Ela espantada lhe responde: - "Como? eu nunca lhe trai, esperei durante esses vintes anos.
 Ele então lhe perguntou: - "E aquele homem que você estava acariciando ontem ao entardecer?
E ela lhe disse: - "AQUELE HOMEM É NOSSO FILHO.
Quando você foi embora, descobri que estava grávida.
Hoje ele está com vinte anos de idade".
Então o marido entrou, conheceu, abraçou o filho e contou-lhes toda a sua história, enquanto a esposa preparava o café.
Sentaram-se para tomar café e comer juntos o último pão.
 APÓS A ORAÇÃO DE AGRADECIMENTO, COM LÁGRIMAS DE EMOÇÃO, ele parte o pão e ao abri-lo, encontra todo o seu dinheiro, o pagamento por seus vinte anos de dedicação.
Muitas vezes achamos que o atalho "queima etapas" e nos faz chegar mais rápido, o que nem sempre é verdade...
Muitas vezes somos curiosos, queremos saber de coisas que nem ao menos nos dizem respeito e que nada de bom nos acrescentará...
Outras vezes, agimos por impulso, na hora da raiva, e fatalmente nos arrependemos depois...
Espero que você, não se esqueça desses três conselhos e não se esqueça também de CONFIAR (mesmo que a vida muitas vezes já tenha te dado motivos para a desconfiança).




Leia mais: Os Três Conselhos http://mensagensepoemas.uol.com.br/pensamentos/fabulas/os-tres-conselhos.html#ixzz1qXabF4ld
Envie Telemensagens Mensagens e Poemas

segunda-feira, 26 de março de 2012

A ARTE É NECESSÁRIA

(Retirado do livro "Explicando Arte" de Jô Oliveira e Lucília Garcez)

A arte tem várias funções na sociedade e na cultura: interpretar o mundo; provocar emoção e reflexão; expressar o pensamento e a visão de mundo do artista; explicar e refletir a história humana; questionar a realidade; representar crenças e homenagear deuses, idéias, pessoas, entre muitas outras.

E nós, como apreciadores ativos, como espectadores atuantes, quando procuramos viver uma experiência estética, podemos ter vários objetivos. Uns objetivos predominam sobre os outros, mas podem surgir juntos, todos ao mesmo tempo. Estão em torno das seguintes ações intelectuais e emocionais:

Refletir, pensar, questionar:
Como nunca pensei nisto? Como as coisas podem ser vistas assim? O que isso representa? O que me diz?
Distrair
Que agradável olhar uma obra tão bem feita!
  
Bailarinas da Oficina Municipal de Artes de Boituva
Usufruir do prazer estético:
Como o artista soube usar bem o seu material! Que efeito interessante! Que idéia bem realizada!


Fugir da realidade:
E se as coisas fossem assim?
Diminuir a solidão:
Ele sente a mesma sensação que eu!
Entender o ser humano:
Como esse artista via o mundo de maneira diferente!
Conhecer o mundo:
Quer dizer que esta forma de comunicação representa uma época? Um período estético?


Organizar e compreender os próprios sentimentos e emoções:
Que emoção estranha eu sinto quando observo esse quadro! Será que estou gostando? Será que estou assustado com a imaginação do artista? Por que esse tema me incomoda?
Vivenciar outras realidades:
Esse quadro parece que saiu de um pesadelo! Como o autor imaginou isso?
Conhecer outra forma de ver o mundo:
Eu que nunca tinha pensado assim!
A experiência estética que a arte proporciona é uma forma de felicidade muito especial porque é transformadora. Ela nos modifica pela a emoção que proporciona. Para interagir e apreciar a arte, usamos: experiências anteriores; percepção; habilidades comunicativas, visuais e espaciais; informações; sensibilidade; imaginação. Assim, quanto mais desenvolvermos essas capacidades, competências e habilidades, mais nos aproximamos do mundo da arte.

sexta-feira, 23 de março de 2012

É POSSÍVEL LER UMA IMAGEM?

É possível ler uma obra de arte? Sim! Do mesmo jeito que aprendemos a ler, decodificar a linguagem verbal, ou seja, as letras, palavras, frases, etc, precisamos aprender a ler obras de Arte.

E como realizar a leitura de uma obra de Arte? É muito importante ressaltar que não existe um único caminho para a leitura de obras de Arte, mas ...


...durante essa leitura é importante levantar aspectos relacionados a:

Leitura Formal: observar os elementos que compõem, formam a obra de Arte, ou seja, os elementos expressivos, como a linha, a cor, o volume, a perspectiva.

Leitura Interpretativa: este é um momento muito rico, em que não existe certo nem errado. Durante esta leitura é possível a cada espectador colocar o que pensa sobre a obra que está vendo, pois cada ser humano percebe, vê e sente uma obra de Arte de acordo com sua história de vida, com o que já sabe e conhece sobre arte.

 Contextualização Histórica: localizar a obra no tempo histórico e no espaço, observando o tema, os significados, ou seja, os contextos em que foi criada, auxiliando na compensação e no significado da obra em questão.


Quando apreciamos produções artísticas, esses aspectos acabam por interagir uns com os outros, pois a leitura de uma obra de arte é percebida, sentida e significada a partir de nossos conhecimentos, vivências e percepções. Ao fruir a produção artística da humanidade, estamos realizando um diálogo com o mundo.

 Quanto mais estivermos em contato com obras de Arte, mais nos aprofundamos nessa linguagem e conseqüentemente em sua leitura, mais ampliamos nosso repertório, conhecimento e compreensão da produção de Arte da humanidade, quer seja em museus, galerias, exposições, ou até mesmo através de reproduções, pois em alguns casos a presença frente às originais não é possível.
 Ler é atribuir significados a algum texto, no caso de obras artísticas, estamos falando de textos visuais, que são lidos a partir do momento que começamos a estabelecer relações entre as situações que nos são impostas pela nossa realidade e de nossa atuação frente a estas questões, na tentativa de compreendê-las e resolve-las. A leitura se torna real quando estabelecemos essas relações.

FONTE:  http://assuntosdaana.blogspot.com.br/search/label/COMO%20LER%20UMA%20OBRA%20DE%20ARTE%3F

segunda-feira, 19 de março de 2012

MAMÃE EU TE AMO

Um pequenino diz à sua Mãe: "Mãe eu pintei o teu lençol com baton". A Mãe fica furiosa, bate-lhe e deixa-o inconsciente, de seguida pede-lhe "abre os olhos por favor", mas já era tarde demais, o seu pequeno coração parou de bater. A Mãe volta para o quarto e vê o que está escrito no lençol "MÃE... EU AMO-TE!". Por todas as crianças ......que são maltratadas....

PENSAMENTOS

"O céu não está em cima, ou embaixo ou à direita ou à esquerda; está no centro do peito do homem que tem fé" SALVADOR DALÍ

PENSAMENTOS

“A arte é apenas um substituto enquanto a beleza da vida for deficiente. Desaparecerá proporcionalmente, à medida que a vida adquirir equilíbrio.” Piet Mondrian
 

IMPRESSIONISMO

O Impressionismo foi um movimento artístico que revolucionou profundamente a pintura e deu início às grandes tendências da arte do século XX. Havia algumas considerações gerais, muito mais práticas do que teóricas, que os artistas seguiam em seus procedimentos técnicos para obter os resultados que caracterizaram a pintura impressionista.

Principais características da pintura:

• A pintura deve registrar as tonalidades que os objetos adquirem ao refletir a luz solar num determinado momento, pois as cores da natureza se modificam constantemente, dependendo da incidência da luz do sol.
• As figuras não devem ter contornos nítidos, pois a linha é uma abstração do ser humano para representar imagens.
• As sombras devem ser luminosas e coloridas, tal como é a impressão visual que nos causam, e não escuras ou pretas, como os pintores costumavam representá-las no passado.
• Os contrastes de luz e sombra devem ser obtidos de acordo com a lei das cores complementares. Assim, um amarelo próximo a um violeta produz uma impressão de luz e de sombra muito mais real do que o claro-escuro tão valorizado pelos pintores barrocos.
• As cores e tonalidades não devem ser obtidas pela mistura das tintas na paleta do pintor. Pelo contrário, devem ser puras e dissociadas nos quadros em pequenas pinceladas. É o observador que, ao admirar a pintura, combina as várias cores, obtendo o resultado final. A mistura deixa, portanto, de ser técnica para se óptica.

A primeira vez que o público teve contato com a obra dos impressionistas foi numa exposição coletiva realizada em Paris, em abril de 1874. Mas o público e a crítica reagiram muito mal ao novo movimento, pois ainda se mantinham fiéis aos princípios acadêmicos da pintura.
GUARDA CHUVA - MONET

quinta-feira, 15 de março de 2012

SORVETE DE AZEITONA

O garoto chega na sorveteria e pergunta:
- Tem sorvete de azeitona ?
aí o cara responde:
- Não
Dia seguinte:
- Tem sorvete de azeitona ?
- Não.
Outro dia:
-Tem sorvete de azeitona ?
- Não
Outro dia:
-Tem sorvete de azeitona ?
- Tem !!!
- Eca !!

O GRITO - ATIVIDADE 2º ANO E.M.

O grito - Edvard Munch
O grito é um quadro famoso e um dos representantes do movimento expressionista ( como diz o nome, a importância é dada à expressão do pintor, e não à realidade). Rejeitado por críticos no início,  O grito caiu no gosto popular e chegou a fazer parte das manchetes de jornais. O quadro fora pintado quatro vezes por Munch, com o intuito de substituir os exemplares vendidos. O primeiro quadro impressionara pela primeira vez a todos os que o viram no ano de 1893.
 A falta de cabelos do personagem visa a representação de sua pouca saúde, e as cores usadas passam uma imagem de angústia e dor - mas com essa expressão no rosto, nem precisava de cores depressivas não é gente?!

As formas irregulares do quadro são uma extensão do grito da figura humana em destaque. Essas formas representam o abalo causado nelas após o grito - com exceção das duas figuras humanas encontradas mais atrás daquele que grita, e a ponte, que representa algo 'concreto'.
Essas mudanças causadas no ambiente demonstram que, para quem sente alguma dor, neste caso, mental, a paisagem também se transforma em algo doloroso - ou seja, assim como no Romantismo da literatura, a Natureza é cúmplice do personagem, e retrata o sentimento deste.
As obras foram roubadas diversas vezes, e hoje, três delas fazem parte dos acervos de dois museus de arte e uma é declarada como propriedade privada.

segunda-feira, 12 de março de 2012

Sem Você

acesso em 13/03/2012 em http://3.bp.blogspot.com/-n_hllNCqlGk/TgEVCNqBcyI/AAAAAAAAAfc/3D82M7IsBWE/s1600/rosa+de+saron.jpg
Sem Você – Rosa de Saron

Composição: Guilherme de Sá

Minha vida, minha história
Só fez sentido quando Te conheci
Seus Olhos, Sua Face, me levam além do que pensei
Se às vezes me escondo, em Você me acho
Nem dá pra disfarçar
Preciso dizer: Você faz muita falta
Não há como explicar…
Foi sem Você que eu pude entender
Que não é fácil viver sem Te ter
Meu coração me diz que não
Eu não consigo viver sem Você, sem Você
Minha vida, minha história
Só fez sentido quando Te conheci
Seus Olhos, Sua Sagrada Face, me levam além do que pensei
Se às vezes me escondo, em Você me acho
Nem dá pra disfarçar
Preciso dizer: Você faz muita falta
Não há como explicar…
Foi sem Você que eu pude entender
Que não é fácil viver sem Te ter
Meu coração me diz que não
Eu não consigo viver sem Você, sem Você…
Nunca sem Você
Meu Senhor, meu Senhor, eu não sou nada,
Sem Você, sem Você…